Sony e Amazon cancelam participação no Mobile World Congress devido ao coronavírus

LG, Nvidia e Ericsson também não estarão presentes na conferência de Barcelona. “Como damos a máxima importância à segurança e ao bem-estar de nossos clientes, parceiros, media e funcionários, tomámos a difícil decisão de deixar de expor e participar do MWC 2020 em Barcelona, Espanha”, informou a tecnológica esta segunda-feira.

China /
10 Fev 2020 / 13:28 H.

Já são cinco as grandes empresas tecnológicas que cancelaram a sua participação na próxima edição do Mobile World Congress (MWC), em Barcelona, por causa do surto que começou em Wuhan. Entre estas multinacionais encontram-se a Sony e a Amazon, que emitiram um comunicado relativamente à sua preocupação com a propagação do coronavírus.

“Como damos a máxima importância à segurança e ao bem-estar de nossos clientes, parceiros, media e funcionários, tomámos a difícil decisão de deixar de expor e participar do MWC 2020 em Barcelona, Espanha”, anunciou a Sony esta segunda-feira, 10 de fevereiro, em comunicado oficial.

Ainda assim, a empresa afirma que, à hora programada da sua intervenção, vai realizar uma conferência de imprensa por videoconferência, no dia 24 de fevereiro, para partilhar as novidades em termos de produtos e tecnologias, não se deixando afectar pelo vírus que já matou mais de 900 pessoas em todo o mundo.

Também a Amazon anunciou o cancelamento da sua participação no MWC. De acordo com a TechCrunch, que recebeu um comunicado da empresa de Jeff Bezos, a Amazon exprimiu “preocupação com a propagação do vírus” e revelou que não iria participar na conferência nem na exposição, marcada entre 24 e 27 de fevereiro.

No entanto, não só estas duas empresas cancelaram a sua participação. A LG Electronics, a Nvidia e a Ericsson também anunciaram que não vão participar no evento devido ao coronavírus. Aliás, a própria organização do evento emitiu um comunicado com algumas precauções que vão ser tomadas durante a exposição.

“Para todos os viajantes da província de Hubei, não lhes vai ser concedido acesso ao evento”, “todos os viajantes que estiveram na China vão ter de provar que estão fora do território nos 14 dias que antecedem o evento”, “leitor de temperatura corporal vai ser implementado”, “os participantes deverão certificar-se de que não entraram em contacto com ninguém que esteja infectado”, indica o comunicado do organizador.