MINSA equaciona subvencionar medicamentos para albinos

O Ministério da Saúde (MINSA) vai, à semelhança dos fármacos para diabéticos e hipertensos, analisar a possibilidade de reduzir ou subvencionar os preços dos protectores solares específicos para os albinos, como forma de se evitar a propensão do cancro da pele e outras doenças.

Angola /
14 Jun 2019 / 10:25 H.

Dados do Movimento Pro-Albimo em Angola apontam que semanalmente são registados 4 casos de cancro da pele, razão pela qual defendem a necessidade de o Estado olhar para esta franja da sociedade com especial atenção.

Relativamente a aquisição de equipamentos como lentes e óculos, o secretário de Estado para a Saúde Pública, José da Cunha, que falava durante a conferência pro-albinismo em Angola, afirmou que vão estabelecer contactos com as ópticas para que se possa encontrar um mecanismo de subvenção ou redução de preços.

Adiantou que existem programas a nível da especialidade de dermatologia e oftalmologia que incidem e protegem especificamente nas pessoas com albinismo, lamentando, no entanto, as dificuldades que os mesmos encontram nos hospitais públicos para a realização de consultas devido a carência de especialistas nos serviços de oftalmologia no país.

Por sua vez, a secretária de Estado da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Ruth Mixinge, afirmou ser necessário continuar a incentivar que aja, de facto, uma cooperação inter-institucional, disponibilidade e visão de estabelecer mecanismos para que todas as pessoas, incluindo esta população, em condição de vulnerabilidade possam ter acesso a esses serviços.

“Precisamos de identificar e mapear as famílias que têm sobre seus cuidados crianças com albinismo. Todos os sectores devem trabalhar no para o cumprimento do que rege a Lei, no que toca a inclusão produtiva em função da realidade e do contexto de cada uma das pessoas que vivem com albinismo, para que concorram em pé de igualdade com qualquer outro cidadão”, reforçou.

Temas