Registados quatro óbitos e 104 infecções em 24 horas

Angola registou, nas últimas 24 horas, quatro óbitos por COVID-19, 104 novas infecções e a recuperação de 41 pacientes, informou, ontem, em Luanda, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.

Luanda /
19 Nov 2020 / 09:11 H.

No habitual encontro com jornalistas no Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM), sobre a evolução da pandemia no País, Franco Mufinda esclareceu que dos quatro óbitos anunciados, dois ocorreram em Luanda, um no Uíge e igual número na província de Benguela. Trata-se de três homens e de uma mulher de nacionalidade angolana, com idades entre 56 e 85 anos.

Em relação às novas infecções, 58 foram registadas em Luanda, 20 em Benguela, 14 no Huambo, quatro em Cabinda, igual número no Uíge, três no Cuando Cubango e uma na província do Bengo.

De acordo com o secretário de Estado, os infectados têm idades entre 1 e 71 anos, sendo 63 do sexo masculino e 41 do sexo feminino. Na capital do País, os casos foram notificados nos municípios de Belas, Cazenga, Cacuaco, Kilamba Kiaxi, Talatona e nos distritos urbanos da Ingombota, Samba, Sambizanga, Maianga e Rangel.

Relativamente aos recuperados, Franco Mufinda disse que 27 foram registados em Luanda, oito na Huíla e seis na província do Huambo. Com estes dados, o País contabiliza 13.922 casos confirmados, dos quais 332 óbitos, 6.623 recuperados e 6.967 activos. Deste número, nove estão em estado crítico a receber tratamento por ventilação mecânica invasiva, 10 em situação grave, 187 são considerados moderados, 393 têm sintomas leves e 6.398 assintomáticos.

O secretário de Estado informou que nos centros de tratamento da COVID-19, a nível do País, estão internados 602 doentes. Em quarentena institucional estão 386 cidadãos e 4.378 sob investigação epidemiológica. Nas últimas 24 horas, 33 pessoas que estavam em quarentena institucional tiveram alta, sendo 29 no Cunene e quatro na província do Cuando Cubango. O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) registou 99 chamadas, todas relacionadas a pedidos de informação sobre a pandemia da COVID-19.

Temas