Quatro em dez angolanos são pobres, estima Universidade Católica

O Centro de Estudos e Investigação Científica (CEIC) da Universidade Católica de Angola (UCAN) estimou esta quarta-feira que a taxa de pobreza no País ronde os 42%, enquanto a da pobreza extrema se situa nos 20%.

Luanda /
28 Nov 2019 / 08:39 H.

Segundo o director do CEIC citado pela Lusa, Alves da Rocha, os números sinalizam a “degradação constante do nível de vida dos angolanos”, motivada pela crise que o país vive desde finais de 2014.

“Em 2015 a capacidade de crescimento da economia foi apenas de 0,5%”, notou o economista, que apresentou, em Luanda, o Relatório Económico de Angola 2018, salientando que “a partir daí, Angola entrou em processo de desaceleração económica, o que significa que, em cada ano, se produzem menos bens e serviços”,