Professores de escolas técnico-profissionais recebem capacitação em Luanda e Huambo

Laboratórios e oficinas dos Centros de formação estão a ser equipados com meios técnicos e tecnológicos modernos para oferecer uma experiência de aprendizagem com sentido pratico.

Luanda /
19 Fev 2021 / 16:42 H.

Decorre em Luanda e no Huambo um processo de formação dos professores que vão assegurar as funções de docentes nas escolas do ensino técnico-profissional, informou recentemente em Luanda o Ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior.

O responsável, que falava depois de um encontro de cortesia entre o Governo de Angola e a delegação da União Europeia, disse que os professores vão receber a necessária qualificação técnica e pedagógica que permitira elevar a qualidade do nosso ensino técnico-profissional.

Segundo Manuel Nunes Júnior, foi também criado um programa de estágios profissionais que está a facilitar a integração dos formandos no mercado de trabalho.

Neste sentido, a ministra da Educação, Luísa Grilo, sublinhou que o foco do sector que dirige é o ensino técnico-profissional, na medida em que a questão do emprego tem a ver com a qualificação da mão-de-obra, por isso o desafio do Executivo é melhorar as competências técnicas, tecnológicas e acadêmicas dos formados.

“Neste momento decorre um exercício para a apresentação de um modelo diferente de funcionamento dos gabinetes, de inserção dos estudantes na vida activa, com as associações sócio-profissionais do sector da indústria, para a empregabilidade dos formandos e um estágio qualificado”, lembrou.

Lembrou ainda que estão a ser revitalizados os cursos de formação agrária, com uma avaliação do actual estado das escolas, para a melhoria das mesmas e do seu curriculum, bem como dos professores.

“Os estudantes passaram a sair com mais competências técnicas como a capacidade de empreender para que sejam os primeiros a criar os próprios empregos, estamos com os nossos gabinetes a trabalhar para que jovens procurem associar-se em cooperativas no domínio das diferentes especialidades que cada escola oferece e assim podermos reduzir o desemprego e promover o auto-emprego”, disse Luísa Grilo.

Para a ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, aquele sector tem a responsabilidade de garantir professores de qualidade, para todos os sub-sectores de ensino do País para o sucesso do programa

Reconheceu que a aposta no ensino técnico-profissional, na formação técnica básica e média técnica, é crucial para que, a partir de agora, as instituições de ensino superior progressivamente consolidem a sua capacidade de ministrar formação com conhecimento técnico e de natureza pedagógica.

Este exercício, acrescentou, está a ser feito em Luanda, no Instituto Superior das Ciências da Educação (ISCED), na parte pedagógica, e na Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto, para que os formandos estejam capacitados em leccionar nas diferentes áreas das engenharias, importantes para o desenvolvimento do País.

“O mesmo processo está a ser realizado no Huambo, com peso para as ciências agrárias, na Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos, e no ISCED-Huambo, estando a frequentar, actualmente, estes cursos, nas duas províncias, 440 estudantes bolseiros”, disse.