Pastores da Universal estão a ser julgados

Quatro pastores da Igreja Universal começaram, ontem, a ser julgados, no Tribunal do Benfica, em Luanda, por crimes de agressão e desacato à autoridade.

Luanda /
24 Nov 2020 / 15:20 H.

No mesmo processo estão arrolados quatro seguranças de uma empresa que presta serviços num dos condomínios onde habitam os pastores, igualmente acusados dos mesmos crimes.

Os arguidos, incluindo um pastor brasileiro e três angolanos, são acusados de agredir e proferir injúrias contra o comandante da Esquadra do Talatona, na passada semana.

Segundo à imprensa, o caso ocorreu quando as forças de segurança tentavam apaziguar um desentendimento entre integrantes da igreja, motivado pelo impedimento do acesso a uma das residências do condomínio.

Já foram ouvidos quatro réus (pastores), faltando os quatro seguranças envolvidos na agressão.

Durante a sessão de audição, os três primeiros pastores ouvidos negaram as duas acusações de que são alvo.

A crise na IURD Angola começou a agudizar-se a 28 de Novembro de 2019, altura em que 300 fiéis angolanos, entre pastores e bispos, acusaram, pela primeira vez, a ala brasileira.

À época, assinaram uma petição e denunciaram supostas práticas ilegais à Procuradoria Geral da República (PGR), que instaurou um processo-crime, ainda sem resultado.