MINSA estuda redução de pacientes de Junta Médica

O Governo angolano está a trabalhar no sentido de reduzir os doentes transferidos para o estrangeiro a expensas da Junta Médica, indica o Ministério da Saúde (MINSA).

Angola /
13 Set 2019 / 10:23 H.

“Tendo em conta a actual crise financeira que o país vive, e porque as verbas alocadas para o efeito não são suficientes, a solução incontornável a adoptar passará pela diminuição do número de pacientes e acompanhantes”, lê-se num comunicado do MINSA, em Luanda.

O Ministério da Saúde reagia a informações postas a circular por alguns jornais e nas redes sociais, que dão conta de alegadas dificuldades por que passam os doentes de Junta Médica, no caso específico dos residentes em Portugal, em virtude dos atrasos das transferências de dinheiro de apoio.

Dados disponíveis apontam que o país tem 328 pacientes no exterior, particularmente em Portugal e África do Sul, e muitos destes com acompanhantes.

O Governo gasta, em média, cerca de quatro milhões de Kwanzas por paciente/ano.

O ministério adianta que o Estado tem garantido durante vários anos assistência médico-medicamentosa, alojamento, alimentação e transporte de acordo às disponibilidades financeiras em cada momento.