Reaberta fábrica de oxigénio depois de 10 anos

A fábrica de oxigénio medicinal do Hospital Provincial do Zaire, situada em Mbanza Kongo, volta a funcionar, um ano depois de ter estado paralisada, na sequência da aquisição de peças sobressalentes por parte das autoridades sanitárias locais.

Luanda /
13 Jan 2021 / 10:54 H.

Segundo o director-geral da instituição, Domingos da Silva,citado pela Angop, com a reabertura da fábrica a província estará melhor servida em termos de oxigénio medicinal. Inaugurada há 10 anos, a fábrica tem capacidade instalada para 20 garrafas de oxigénio de 50 quilogramas por dia.

Domingos da Silva explicou que a direcção adquiriu, a 50 mil USD, um novo compressor, peça que esteve na base da paralisação da unidade fabril. Como alternativa, prosseguiu, o hospital adquiria 120 garrafas de oxigénio por mês em Luanda, com elevados encargos financeiros, pois o frete de um camião para o transporte de 60 botijas custa, aproximadamente, 300 mil Kz.

“Ainda assim essas quantidades são insuficientes para atender a actual demanda deste produto, visto que só o hospital provincial consome, diariamente, 10 garrafas de oxigénio de 50 quilogramas. As áreas de Medicina, Pediatria e do internamento de casos da COVID-19 são as que mais oxigénio precisam”, sublinhou