Obras do troço Nzeto/Soyo estão paralisadas desde 2008

A conclusão das obras da estrada Nzeto/Soyo, com uma extensão de 150 quilómetros, está dependente da indemnização exigida pelo empreiteiro italiano, CMC di Ravenna, alegadamente por se ter registado inúmeras paralisações nos trabalhos, que começaram em 2008, avança o Jornal de Angola.

11 Fev 2020 / 15:37 H.

A informação foi avançada pelo director provincial do Instituto de Estradas de Angola (INEA), Manuel Diangani.

“Existe disponibilidade financeira por parte do Governo angolano para a conclusão dos trabalhos de construção da estrada, mas o empreiteiro italiano, CMC di Ravenna, quer indemnização pelas constantes interrupções das obras”, revelou Manuel Diangani.