CACL sem recursos para realojar 68 famílias

A Comissão Administrativa da Cidade de Luanda (CACL) não dispõe de residências para o alojamento das 68 famílias vivendo sem condições de habitabilidade no velho hotel Magestic, localizado no distrito urbano do Sambizanga.

Luanda /
25 Jun 2020 / 12:40 H.

Esta informação foi prestada esta quarta-feira pela presidente da CACL, Maria Antónia Nelumba, no final da visita de campo da governadora da capital do País, Joana Lina, ao município de Luanda, com o objectivo de se inteirar das obras em curso e paralisadas nesta circunscrição.

A presidente da CACL explicou que neste momento não possuem casas disponíveis para alojar as famílias.

Reconheceu que as condições de habitabilidade naquele local não são das melhores, razão pela qual é preciso arranjar soluções para a retirada destas pessoas.

Em relação as ravinas junto o centro do Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP), Maria Antónia Nelumba informou estão à procura de soluções para o mesmo.

Durante a jornada de campo, a governadora inteirou-se da obra de construção da rua Kima Kienda, da pedonal da Boavista, do centro de saúde da Samba, da vala de drenagem do Inorade e da bacia hidrográfica do mesmo distrito, enquanto na Maianga visitou o Centro de Distribuição de Água Potável do Rocha Pinto e Catinton.

No Neves Bendinha, a governadora inspeccionou as obras do Centro Ortopédico, a ponte da rua de Mavinga e o canal de drenagem das águas pluviais e residuais da rua Olímpio Macueira.

Já no Rangel, foi visitado a obra da passagem de nível na Avenida Hoje Ya Henda, escola primária do Soeiro, Ngola Mbanda e a administração do bairro do Rangel.