Angola participa no fórum sobre nutrição infantil nas escolas

O evento, que vai contar com a presença de governantes, agências das Nações Unidas e especialistas Internacionais, pretende redinamizar os Programas de Alimentação Escolar no Mundo e a sua cadeia de valores com maior integração do género na preparação de alimentos escolares cultivados em casa.

Angola /
24 Out 2022 / 09:00 H.

Angola participa, a partir desta segunda-feira, em Cotonou, República do Benin, no 23º Fórum Global sobre a Nutrição Infantil nas escolas.

Angola está representada por uma delegação chefiada pela ministra da Educação, Luísa Grilo e pelo embaixador na Nigéria, Níger e Benin, Eustáquio Januário Quibato.

A ministra Luísa Grilo espera absorver e partilhar experiências de Angola na produção e distribuição da merenda escolar.

“É um fórum global que vai colocar o nosso país na linha de superação da desnutrição infantil para maior rendimento escolar das crianças”, sustentou a governante.

O Fórum visa promover uma forte coligação global de merenda escolar para nutrir crianças através de frutas e legumes nas escolas, contando com a colaboração do sector privado e da agricultura familiar para uma alimentação escolar mais nutritiva.

Com término previsto para o dia 27, servirá ainda para a promoção de análise do triplo fardo da desnutrição, deficiências de micronutrientes e sobrepeso e obesidade nas crianças.

Os governantes, agências das Nações Unidas e especialistas internacionais querem consolidar várias iniciativas para o Ano Africano da Nutrição com sustentabilidade e resiliência, tendo a escola, a comunidade, o género e o sector privado como suportes indispensáveis na elaboração de Programas de Alimentação Escolar.

A organização procura instar os governos a vincularem pequenas e médias empresas agrícolas, agricultores familiares e comunidades nos programas de compras públicas de alimentos escolares caseiros para criar oportunidades de empregos para mulheres e jovens.

O objectivo é fortalecer a responsabilidade do género nos Programas de Merenda Escolar, da massificação de hortas escolares e na promoção de consumo de frutas e legumes frescos como componentes insubstituíveis de uma refeição.