Fortuna pessoal do líder da IURD Angola avaliada em 12,4 milhões USD

A Universal enfrenta um mau momento em Angola, daí que Edir Macedo moveu lobbies e dentro de dias deslocam-se para Luanda um ministro do governo brasileiro e um proeminente deputado federal .

Luanda /
12 Dez 2019 / 19:49 H.

O objectivo da visita é influenciar o Executivo angolano a intervir na justiça para arquivamento do “Dossiê IURD“. Por outro lado, o bispo Honorilton Gonçalves (na foto), responsável máximo da IURD Angola, esteve nas primeiras horas de quarta-feira na Procuradoria Geral da República, onde fora convocado para responder acusações de crimes relacionados com a castração de pastores angolanos, uma condição inegociável imposta pela Universal para os prelados que queiram contrair matrimónio. Por ser considerado um crime, ao abrigo das leis angolanas e da própria Constituição, e face aos elementos de prova recolhidas pela PGR, o interrogatório foi longo, na manhã de quarta-feira última, numa das repartições do Ministério Público na zona do Maculusso.

Recorda-se que nesta semana o viceprocurador-geral da República, Mota Liz, afirmou para a Agência Angola Press que a Procuradoria-Geral da República está a investigar, há já algum tempo, as denúncias de castração química e vasectomia de que são, eventualmente, submetidos alguns pastores da IURD Angola. O processo em que responde Honorilton Gonçalves continua em aberto e prevê-se mais desenvolvimentos para as próximas semanas, já que pastores castrados, nunca mais poderão procriar, serão também ouvidos, bem como outros que mesmo atingindo a faixa etária dos 30 anos de idade não são permitidos contrair matrimónio por negarem a castração. Fonte do Ministério Público avançou a este jornal que o brasileiro não deverá abandonar o País enquanto estiver sob investigação, estando previsto, para os próximos dias, a requisição do passaporte do responsável da Universal no País pela instituição de justiça.

Por causa desta polémica é que surgiu um novo elemento que está a perturbar a própria cúpula da IURD no País. O responsável da Universal em Angola é dono de uma fortuna pessoal avaliada em 52,4 milhões de reais (12,4 milhões USD) repartidos em investimentos no sector da comunicação social no Brasil, onde é dono de emissoras de rádio e de televisão em alguns dos 27 estados (províncias) do país sul-americano. Entre as emissoras de rádio onde investiu capital social avaliado em 52 milhões de reais, destaque para a Rádio Antena Nove, Sistema Hoje de Rádio, Televisão Record do Rio de Janeiro, TV Vale do Itajai, Televisão Xanxere e a Televisão Sociedade Limitada, uma realidade que já foi confrontada junto da instituição brasileira que cadastra o perfil de pessoas físicas accionistas em sociedades de capital aberto e fechado. Vanguarda apurou ainda que face a rixa que opõe a ala brasileira da Universal com cerca de 60 elementos, entre bispos e pastores, contra o grupo de 330 bispos e pastores angolanos (o número cresceu nos últimos dias para mais uma centena ultrapassando os 400), Edir Macedo, presidente e dono da Universal, terá movido lobbies junto do governo do seu país.

Como consequência, aguarda-se para os próximos dias em Luanda a visita de um destacado ministro do governo de Jair Bolsonaro e um proeminente deputado federal para juntos influenciarem o governo de João Lourenço a manietar o Ministério Público para arquivamento do “Dossiê Universal”. A intenção acima resulta de um facto que está a ser discutido pela cúpula da Universal em Angola, sobre as consequências no curto e longo prazo caso se perca a liderança da igreja em Angola para angolanos. Das discussões havidas nos últimos dias, concluiu-se que apesar de a IURD estar implantada em cerca de 200 países, para perder a liderança em Angola é preferível perdê-la em mais 50 países do mundo onde se implantaram, que juntos são inexpressivos face à dimensão financeira e impacto social que a igreja em Angola representa no cômputo mundial da Universal.

Saiba mais na edição nº 148 do Jornal Vanguarda, já nas bancas.