Escola Superior suspende produção de sabão azul

O Laboratório de Química da Escola Superior Politécnica do Zaire, em Mbanza Kongo, suspendeu a produção de sabão azul, por alegada falta de incentivos.

Luanda /
02 Set 2020 / 15:10 H.

Com capacidade de produzir 40 barras de sabão azul por dia, o projecto, que teve início em Julho, envolve três docentes da instituição, um dos quais de nacionalidade cubana, e tinha como propósito produzir produtos de higienização para fazer face as medidas de prevenção contra a COVID-19.

Em declarações à ANGOP, a chefe de departamento do estudo de Química da Escola Superior Politécnica do Zaire, Cecília Chibinda, disse que a falta de verbas para a aquisição de reagentes e outra matéria-prima no mercado local inviabiliza a continuidade do projecto.

Sem avançar o montante para a prossecução deste projecto, a responsável informou terem sido produzidos, durante o mês de Julho, 198 barras de sabão azul, quantidade irrisória para ser distribuída às comunidades carenciadas.

“Seria vantajoso produzirmos o detergente local e ser distribuído às famílias carenciadas locais, que não dispõem de recursos financeiros suficientes”, salientou.

Entretanto, o sabão produzido encontra-se guardado na instituição, devendo ser usado tão logo reiniciem as aulas.

Aberta em 2010, a Escola Superior Politécnica do Zaire, em Mbanza Kongo, ministra cursos de ensino de Física, Matemática, Química, Psicologia e Gestão de Empresas