Desmantelada rede de caça furtiva e passadores de armas

Ao todo, 11 cidadãos nacionais, entre fornecedores de armas de fogo, caçadores furtivos e vendedores de carne de caça, foram detidos na passada semana no Parque Nacional do Luengue-Luiana, província do Cuando Cubango.

Luanda /
27 Jul 2020 / 11:09 H.

Segundo o director do Gabinete Provincial do Ambiente, Júlio Bravo, entre os detidos, sete dedicavam-se ao abate de animais de várias espécies, dois forneciam armas de fogo e munições e duas senhoras encarregavam-se da comercialização da carne.

Os supostos criminosos, detidos durante uma operação conjunta entre efectivos da Polícia Nacional e fiscais ambientais destacados no parque Luengue-Luiana, tinham em sua posse duas armas do tipo mauser, uma metralhadora PKM, uma caçadeira, 91 munições e 200 quilos de carne de animais abatidos.

Júlio Bravo, que encabeçou uma comissão multissectorial, que trabalhou durante duas semanas nos municípios de Mavinga, Rivungo, Dirico e Cuangar, anunciou que durante a digressão nestas regiões foram seleccionados 300 jovens que habitam nas proximidades dos parques nacionais de Mavinga e Luengue-Luiana para reforçarem as brigadas de fiscais ambientais.

O responsável informou que os jovens seleccionados vão ser formados no Instituto de Formação de Fiscais Ambientais “31 de Janeiro”, sediado na cidade de Menongue, depois dos constrangimentos causados pela pandemia terminarem.