Quatro mil cidadãos serão recenseados

O Distrito de Recrutamento e Mobilização no Huambo prevê recensear, de Janeiro a Fevereiro deste ano, quatro mil cidadãos nascidos em 2002 e 2003, em observância ao despacho do Ministério da Defesa Nacional sobre o recenseamento militar, garantiu ao Jornal de Angola o coronel Viana Delfim, responsável deste órgão das Forças Armadas Angolanas (FAA) na região.

Luanda /
14 Jan 2021 / 14:15 H.

A estimativa do número de cidadãos a recensear, segundo o coronel das FAA, é com base em dados fornecidos pelas conservatórias do registo civil, sendo que o trabalho está a ser desenvolvido, em conjunto, por funcionários especialistas do Estado-Maior do Exército e pelas administrações municipais.

No presente processo também estão a ser recenseados jovens provenientes de outras províncias, por razões académicas ou mudança de residência.

Os cidadãos que não efectuarem o recenseamento militar estão, à luz do despacho do Ministério da Defesa, impedidos de tratar documentos, acesso ao trabalho na função pública e a viajarem para o exterior, bem como de contraírem matrimónio, explicou Viana Delfim.

Aconselhou, por isso, os jovens a realizarem o recenseamento militar, realçando que apesar de ser um "dever patriótico”, os mesmos estarão cadastrados para um eventual ingresso nas Forças Armadas Angolanas (FAA).

O chefe do DRM no Huambo esclareceu que a instituição não recruta cidadãos para as Forças Armadas Angolanas há muito tempo devido à pandemia da COVID-19, que desaconselha a aglomeração de pessoas. "Auguramos que a pandemia passe rapidamente para voltarmos à normalidade das nossas actividades”, afirmou.