PR convida África a facilitar investimentos

O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, defendeu em Brazzaville (República do Congo), a necessidade de se encontrar soluções para se ultrapassar a retracção com que os investidores internacionais encaram os mercados africanos.

Angola /
11 Set 2019 / 12:13 H.

Segundo João Lourenço, é imperioso abordar as razões que levam os investidores a canalizarem “de forma muito tímida” os seus recursos financeiros para os países africanos, apesar do imenso potencial em recursos naturais que África possui.

O estadista angolano discursava na abertura do quinto Fórum “Investir em África” (FIA5), uma iniciativa que ele descreveu como “de uma grande importância, utilidade e pertinência pelo tema em destaque”.

Os trabalhos deste encontro vão decorrer até quinta-feira, na capital congolesa, sob o lema “Parcerias para promover a diversificação económica e a criação de empregos nas economias africanas”, numa organização conjunta das autoridades congolesas, chinesas e do Banco Mundial (BM).

João Lourenço chamou a atenção dos participantes no Fórum para a “percepção objectiva” existente a nível geral, no continente africano, de que se impõe com urgência a necessidade da criação de um ambiente de negócios isento de práticas desencorajantes para os investidores.

Por isso, encorajou-os a identificar as razões da permanente timidez com que os investidores canalizam os seus recursos financeiros para os países africanos, apesar das suas potencialidades em recursos naturais.

“Esta questão deve merecer a atenção dos participantes para se identificar também as soluções que ajudem a ultrapassar a retracção com que os homens de negócios encaram os mercados africanos”, sublinhou.