Japão apoia UNICEF a combater subnutrição no Cunene

O financiamento nipónico àquele órgão das Nações Unidas estende-se à província de Luanda, será para apoiar a imunização nos municípios de Cacuaco e Viana

Luanda /
25 Mar 2020 / 14:15 H.

O Japão disponibilizou 545,454 mil USD para o combate da subnutrição no Cunene e reforço das acções de imunização em Luanda, anunciou o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), no comunicado de imprensa enviado ao Jornal do Vanguarda.

A ajuda do governo nipónico, de acordo com o comunicado, será transferida para o UNICEF e vai reforçar o apoio que tem sido prestado ao longo dos últimos meses, nas áreas supracitadas, tidas cruciais para o desenvolvimento da criança.

“O Governo do Japão quer, por meio deste financiamento ao UNICEF, reforçar o seu compromisso com a criação de um ambiente favorável para o desenvolvimento integral de cada criança, particularmente aquelas que vivem em situações que aumentam sua vulnerabilidade”, diz Hironori Sawada, Embaixador do Japão em Angola, segundo a nota.

Assim, mais de 38 mil pessoas, incluindo crianças e mulheres, no município de Ombandja, uma das áreas mais afectadas pela seca na província do Cunene, serão beneficiadas do apoio financeiro proveniente do Japão.

Com o dinheiro recebido do governo japonês, refere o comunicado, o UNICEF pretende apoiar as autoridades do Cunene a garantir que cerca de 16 mil crianças, menores de 5 anos, tenham acesso à prevenção e rastreio da desnutrição aguda.

Também 12 mil crianças, em idade escolar, serão desparasitadas. Prevê-se ainda a compra de suplementos nutricionais e desparasitantes, esclarece aquele órgão da ONU.

Formação de vigilantes

Ainda consta do programa, a formação de 30 professores que farão a vigilância nutricional e aconselhamento sobre práticas de alimentação de bebés e crianças.

Outra parte do financiamento japonês servirá para apoiar a imunização nos municípios de Cacuaco e Viana, em Luanda. A verba será aplicada, especificamente, na formação de técnicos de vacinação e responsáveis pelas acções de promoção da saúde a nível comunitário, a fim de que estejam preparados para responder a qualquer tipo de surto.

Desta forma, diz o UNICEFE no comunicado, pretende-se reforçar a ligação entre as intervenções de emergência com as campanhas e acções de vacinação de rotina.

“Com este financiamento, temos mais um exemplo de congregação de esforços múltiplos entre parceiros, com o objectivo principal de acudir as necessidades das populações mais afectadas pelas diversas emergências que ocorrem no país”, diz Jean François Basse, Representante Interino do UNICEF em Angola.

Também disse que o UNICEF tem uma tradição histórica de parceira com o governo japonês, tendo ao longo dos últimos anos beneficiado de vários financiamentos que permitiram dar resposta à várias situações de emergência, como é o caso mais recente da resposta à crise de refugiados na Lunda Norte.