Executivo reafirma cumprimento das metas estabelecidas no PDN

O ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, reafirmou, em Luanda, o compromisso do Executivo de efectivar importantes projectos económicos e cumprir as metas estabelecidas no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022.

Luanda /
07 Ago 2020 / 12:53 H.

Manuel Nunes Júnior fez a afirmação durante o acto de posse de Castro Paulino Camarada no cargo de secretário executivo da Unidade de Monitoria e Acompanhamento dos Projectos do Executivo (UMAPE) e de Martinho Bangula Katúmua, coordenador-adjunto da Unidade Técnica de Gestão do Plano Nacional de Formação de Quadros para a Área Técnica de Programação, Acompanhamento e Avaliação.

Na ocasião, o ministro de Estado considerou que a UMAPE vai garantir mais confiança às instituições, proporcionando mais rigor na fiscalização dos projectos. Manuel Nunes Júnior esclareceu que a UMAPE não vai sobrepor-se às outras unidades, mas dedicar-se ao acompanhamento dos projectos que merecem atenção especial do Presidente da República, João Lourenço.

O ministro de Estado para a Coordenação Económica salientou que os empossados têm competências para desempenhar as funções para as quais foram nomeados, tendo-lhes desejado sucesso.

Castro Paulino Camarada, empossado no cargo de secretário executivo da UMAPE, afirmou que a mesma terá a missão de criar um sistema de monitorização dos projectos prioritários dos departamentos ministeriais e governos provinciais, aprovados pelo Titular do Poder Executivo, para cumprir os objectivos do PDN.

O Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022, constitui o segundo exercício de planeamento de médio prazo realizado no âmbito do Sistema de Nacional de Planeamento em vigor, na sequência do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) 2013-2017, e visa a promoção do desenvolvimento socioeconómico e territorial do País.

O PDN tem um carácter prospectivo e plurianual, abrange os níveis nacional, sectorial e provincial de planeamento, e implementa as opções estratégicas de desenvolvimento a longo prazo do País, assumidas na Estratégia de Longo Prazo (ELP) “Angola 2025”. Castro Camarada disse constar, igualmente, do programa da UMAPE a disponibilização de informações necessárias sobre a execução dos projectos do Executivo, para a correcção, em tempo oportuno, do Titular do Poder Executivo, bem como a identificação e resolução de eventuais riscos na implementação dos projectos.

Castro Camarada disse, ainda, que a UMAPE vai funcionar com base numa “gestão partilhada e concertada”, assim como assegurar a observância dos prazos na execução dos diferentes projectos, a curto, médio ou longo prazo. Castro Paulino Camarada foi, em 1991, vice-reitor da Universidade Agostinho Neto para o Centro Universitário do Huambo. Foi, igualmente, representante da Fundo das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) na Libéria e coordenou um projecto de apoio ao processo de reformas do sector agrário em Angola.

Martinho Bangula Katúmua foi nomeado, pelo Presidente da República, em Julho, ao cargo de coordenador-adjunto da Unidade Técnica de Gestão do Plano Nacional de Formação de Quadros para a Área Técnica de Programação, Acompanhamento e Avaliação. Martinho Katúmua é mestre em Sociologia e escritor, área na qual conquistou, em 2015, o Prémio Provincial de Benguela de Cultura e Artes, na categoria de Literatura.