Angola espera que mobilidade na CPLP seja menos complexa

O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, disse em Lisboa, que o Executivo angolano espera que os avanços registados nas discussões técnicas possam tornar a questão da mobilidade na CPLP menos complexa.

Lisboa /
20 Jan 2020 / 09:56 H.

Manuel Augusto fez tais declarações a imprensa, no final de uma audiência que serviu para entrega de uma mensagem do Chefe de Estado angolano, João Lourenço, ao homólogo luso, Marcelo Rebelo de Sousa.

“Na presidência angolana, que iniciará em Julho deste ano, daremos continuidade ao trabalho das presidências anteriores, e esperamos que os avanços registados em discussões técnicas possam tornar este assunto menos complexo, porque entendemos que a CPLP tem que abordar outros temas com impacto nas vidas das populações”, disse o ministro.

O diplomata garantiu que todos os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) estão empenhados em dar o seu melhor, para encontrar soluções que satisfaçam os cidadãos, sem pôr em causa os interesses de cada estado.

Manuel Augusto afirmou que o estado brasileiro tem um peso específico na comunidade, por congregar o maior número de falantes. Por esta razão, acredita no seu engajamento tal como os demais, tendo em conta as mudanças que se registam naquele país.

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) é uma organização internacional formada por países lusófonos, cujo objectivo é o aprofundamento da amizade mútua e da cooperação entre os seus membros.