Angola assume decanato do Grupo de Embaixadores na Namíbia

O Grupo de Chefes de Missões Diplomáticas Africanas tem-se notabilizado na Namíbia pelo envolvimento em projectos sociais em prol das comunidades onde estão também inseridos cidadãos namibianos.

Luanda /
24 Jun 2022 / 11:09 H.

A embaixadora de Angola na República da Namíbia, Jovelina Imperial, é a partir de quinta-feira, 23, a decana do Grupo de Chefes das Missões Diplomáticas Africanas na Namíbia.

Até ao momento, o decanato era assumido pela embaixadora do Zimbabwe na Namíbia, Rufina Chikava, que, em fim de missão, despediu-se ontem, agradecendo o apoio prestado pelos diplomatas africanos na implementação das actividades do grupo.

Ao assumir a pasta, Jovelina Imperial destacou o empenho da diplomata do Zimbabwe e prometeu continuar a trabalhar em prol das políticas do grupo que tem como finalidade analisar as questões de interesse multilateral, no domínio político, socioeconómico e outros que contribuem para o desenvolvimento dos seus países.

Angola passa, assim, a coordenar as políticas do Grupo que se reúne uma vez por mês, representando, igualmente, o grupo de embaixadores africanos em diferentes encontros na Namíbia, bem como em negociações com patrocinadores das actividades.

O embaixador da República Unida da Tanzânia, Modestus F. Kipilamba, vai agora assumir a posição de vice-decano.

O Grupo Africano é composto por 14 países, acreditados na Namíbia, representado por embaixadores e altos-comissários de Angola, Egipto, Tanzânia, Gana, África do Sul, Zâmbia, Argélia, Zimbabwe, Botswana, República Democrática do Congo, República do Congo, Nigéria, Quénia e Líbia. Os diplomatas partilham informações de carácter político e diplomático dos seus Estados, do país acreditador e internacional.