Angola ajuda no controlo dos recursos

Angola vai contribuir, de forma efectiva, para a excelência do controlo e fiscalização da gestão dos recursos públicos na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), garantiu, recentemente, em Luanda, a juíza conselheira presidente do Tribunal de Contas.

Luanda /
23 Out 2020 / 14:28 H.

Exalgina Gambôa falava na assembleia-geral extraordinária virtual da Organização das Instituições Supremas de Controlo (ISC) da CPLP, subordinada ao tema “A cooperação entre as ISC de Língua Portuguesa - 25 anos de desafios e oportunidades”, organizada a partir da cidade de Brasília, Brasil.

A presidente do Tribunal de Contas apontou o esforço permanente e resiliência na missão de fiscalização dos dinheiros públicos, recursos que apresentam “escassos para a dimensão dos problemas derivados da COVID-19, que fez emergir uma crise severa que assola o Universo”.

Essa situação, disse, tem obrigado os países à adopção de novos procedimentos de trabalho, por forma a fazer face às necessidades emergentes de cuidados de saúde, biossegurança e de protecção social das famílias e de todos aqueles que o actual contexto de crise os coloca em condições de vulnerabilidade temporária.

A magistrada manifestou orgulho por algumas acções realizadas representarem a contribuição do Tribunal de Contas, no esforço e organização, para as ISC trabalharem “para um erário mais eficiente, transparente e responsável, a todos os níveis, conforme os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável”.

Além disso, adiantou, face às recomendações da Declaração de Díli, Angola assinou memorandos de cooperação técnica com a Universidade Agostinho Neto, visando a capacitação dos auditores angolanos no quadro do reforço das competências.