O que significa Muñtu?

Etimologia: (a) mu, prefixo nominal com sentido de “possuidor de”; (b) ñtu, quer dizer pessoa. Acontece que a pessoa, entre os Bantu, é composta de: corpo material, vontade humana e espírito da inteligência. Dos três, é o Espírito da Inteligência que comanda.

06 Jan 2020 / 13:33 H.
Patrício Batsikama

Na cosmogonia dos Bantu, a Inteligência é um ser imaterial a quem se deve toda existência. Este ser habita na cabeça de cada indivíduo. Por isso, muñtu quer dizer “possuidor do Espírito da Inteligência”. Traça-se uma ligação epistemológica entre o indivíduo e a Inteligência através da criação do Homem: o homem (muñtu) passa a ser o descendente da Inteligência. Logo, possuidor do Espírito da Inteligência criadora. Só pode ser considerado como muñtu quem cria, inova e é proactivo. No olhar antropológico, o muñtu é homem inteligente. Ao nascer, a criança ainda não pode ser tida logo como muñtu. Deve passar por processo de socialização por um lado. Por outro, deve contribuir, depois de possuir a Inteligência, na consolidação socia. Nesse exercício, ele passa a ser muñtu. Quer dizer indivíduo inteligente inserido na comunidade de valores. Personaliza conjunto de códigos de estar e participar, assim como de apresentar-se e de afirmar-se. Mas está ligado à sua terras pela ancestralidade e pelas leis que o obrigam a respeitar os valores, preservar a espécie humana e toda constituição social (material e simbólica). Como podemos notar, os nossos ancestrais se interessavam mais na edificação do homem inteligente como integrante social, caracterizado pelos valores e garante da continuação social e cultural do espaço onde pertence. As iniciações de puberdade, passagem ou de pertença ou profissão foram substituídas pela Escola convencional. Sem iniciação, ninguém poderia ser chamado de muñtu. Dito de outra maneira, sem a escolaridade a pessoa não era considerada como tal. Mas para realmente ser muñtu, o indivíduo deve participar na preservação da integridade familiar/social assim como no seu desenvolvimento. Na verdade, o muñtu significa cidadão que, por um lado, tem direitos à vida, protecção, escolaridade e oportunidade da sua felicidade.

Por outro lado, em contrapartida, tem deveres: respeitar a ordem simbólica, os valores e contribuir na prosperidade da sociedade. O muñtu é o indivíduo com deveres, direitos e alta consciência de exemplarmente viver com base da ordem simbólica. Tudo parte da família, onde nasce a criança. É no berço que aprende a ordem simbólica, antes mesmo de perceber o mundo à sua volta. A ordem simbólica é conjunto de valores que obedece às leis da natureza, leis da concordância e na paz dos espíritos. Na escola (iniciações), a Inteligência lhe passada pelos professores (iniciadores) compromissados com a mesma ordem simbólica. Esse processo todo constitui a dívida que cada indivíduo tem com seus pais, sua família, sua comunidade e, acima de tudo, com a sua terra (domínio dos ancestrais). Toda comunidade prospera na base do desenvolvimento humano que, além da escolaridade obrigatória, é orientado pelos valores. Se a família falhar, a sociedade (Estado) pouco fará.