O peso da educação: Pim Pam Pum – Lobito é campeão

“Há necessidade de se aproveitar os variados tipos de investigação que dispomos. Existe aquela que é feita na indústria e nos laboratórios e aquela que é feita pelos académicos. E esta última, tem um sabor diferenciado, que é deixada ao gosto científico do investigador, com a essência de disseminar através dos seus colaboradores...

16 Mar 2020 / 16:41 H.
Edgar Leandro Avelino

O tema em análise constitui ponto para séria reflexão, não só porque tal abordagem põe em foco um assunto de relevante pertinência, mas também, e sobretudo, porque a sua real compreensão leva-nos, directamente, a uma reflexão educacional e jornalística mais dinâmica e, consequentemente, a melhor contribuir para um integral desenvolvimento sócio-económico do país.

Partindo do princípio de que ‘‘COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO’’, devo, desde já, referir que a citada frase torna-se insuficiente, na medida em que ela parece muito restritiva.

Já parece normal (o que não deveria ser), ouvir-se a Ministra da Educação a ‘atropelar’ constantemente o português, em declarações públicas à imprensa com um jornalismo convencional que defende a educação, mas isenta-se de questionar o correcto.

Tendo, porém, em linha de conta que, no quadro do presente artigo, interessa-me mais a vertente educacional, assim, por comodidade de análise, privilegiar-se-á o conceito de políticas públicas para a educação.

E foi assim que, na minha mais recente viagem à maravilhosa cidade do Lobito, numa agradável conversa com a Dra. Genoveva Borges em torno das políticas educativas de Paulo Freire, que tomei conhecimento que a nossa Angola, uma vez mais, brilhou para o mundo e não foi comunicado, tão pouco publicitado pelos órgãos de comunicação social ‘da banda’.

Dra. Genoveva tomou como ponto de partida da sua narrativa o historial de como tudo aconteceu.

Doze alunos do Complexo Escolar Pim Pam Pum, no Lobito participaram na The World Scholar´s Cup um evento de âmbito internacional que, pela 1ª vez ia realizar-se em Angola.

O Regional Round 2019 realizou-se no Complexo Escolar Privado Internacional (CEPI) nos dias 25 e 26 de Outubro de 2019.

A equipa 865 constituída por Bruna Medeiros, Cláudia Solena e Creusa Morão, pela participação nos desafios ganhou um total de 15 medalhas sendo 6 de ouro e 9 de prata.

A equipa 866 constituída por Daniela Gonçalves, Hali Lobito e João Vences, pela participação nos desafios ganhou um total de 6 medalhas sendo 1 de ouro e 5 de prata. A aluna Hali Lobito foi destacada como uma das melhores oradoras da competição.

A equipa 867 constituída por Kendra Borges, Mirian Domingues e Mariam Tahir, pela participação nos desafios ganhou um total de 8 medalhas sendo 3 de ouro e 5 de prata.

Finalmente, a equipa 868 constituída por Micaela Gomes, Rúben Gonçalves e Sandro Travessa, pela participação nos desafios ganhou um total de 20 medalhas sendo 10 de ouro e 10 de prata.

Com um total de 72 medalhas, o Pim Pam Pum vai participar na Global Round a acontecer em 2020.

A Professora Rafaela Borges monitora-chefe do grupo, assim como o Professor Agostinho Lupendate, monitor-adjunto, foram distinguidos pelo fundador Daniel Berdichevsky (Founder and Alpaca-in-Chief) como adjudicadores de debates.

A exercitação intelectual é um investimento para a colectividade mas que deve ser levado a cabo por todos e não por um <<herói solitário>>.

Se em um jogo de perguntas e respostas alguém pedisse para citar o nome de três ministérios, bem provavelmente o Ministério da Educação seria um dos citados.

O Ministério da Educação é o braço do governo responsável pela elaboração e execução da Política Nacional de Educação (PNE). Todo o sistema educacional angolano, desde a educação infantil até profissional, está sob responsabilidade deste ministério.

A Copa do Mundo Académico (World Scholar's Cup) é um programa académico internacional com estudantes de mais de 65 países. A competição foi fundada por DemiDec, em particular por Daniel Berdichevsky, em 2006, em Los Angeles, California.

Ao fechar o parêntese, para voltar ao tema inicial, quero, uma vez mais, enfatizar que o labor do intelectual humanista, que é árduo e criativo opera através da inovação que lhe atrai mudanças tais, susceptíveis de acautelarem a cristalização, o monolitismo da própria sociedade.

O intelectual técnico, o jornalista, enquanto <homem detentor> do conhecimento, deve transformar-se e ser um descobridor de verdades.

A este propósito, são elucidativas as palavras da doutorada em Ciências da Educação e professora Genoveva Borges, que com a devida vênia tomo a liberdade de transcrever. “Há necessidade de se aproveitar os variados tipos de investigação que dispomos. Existe aquela que é feita na indústria e nos laboratórios e aquela que é feita pelos académicos. E esta última, tem um sabor diferenciado, que é deixada ao gosto científico do investigador, com a essência de disseminar através dos seus colaboradores... A educação é o meio... educação é o futuro!” fim de citação.

Entre reflexões, crónicas e ensaios esta é a minha visão.

*Doutor em Administração de Empresas (DBA), Especializado em Marketing Estratégico (h.c)