Hiperactividade e a saúde visual e auditiva

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperactividade (TDAH), é um problema que afecta o comportamento das crianças, causando distúrbios motores, perceptivos, cognitivos e comportamentais. Esta condição atinge 3 a 5% das crianças em idade escolar, sendo a maioria rapazes, mas pode também ocorrer em adultos.

19 Fev 2021 / 15:46 H.
José Geraldes

As crianças hiperactivas podem tornar-se desatentas, desinteressadas, agitadas e impulsivas, prejudicando o ser desenvolvimento saudável.

Sendo uma condição crónica, se não for identificada e devidamente tratada, pode persistir até à fase adulta, com um impacto brutal na vida dos nossos filhos.

O ambiente em que melhor se revela a Hiperactividade tende a ser a escola, já que as crianças estão expostas a muitos estímulos que colidem com as suas características, acabando por aumentar a visibilidade dos sintomas, nomeadamente apresentando dificuldades de concentração e de aprendizagem, baixo rendimento na escola, problemas para ler, ou até desentendimentos e conflitos entre os seus pares.

Não é surpresa para ninguém que crianças que não se conseguem concentrar têm, necessariamente, dificuldades de aprendizagem, mas o que muitos pais desconhecem é que pode haver, em alguns casos, uma relação entre a hiperatividade e problemas de visão e audição, ainda na infância.

O primeiro passo que a grande maioria dos especialistas dá para fazer um diagnóstico de suspeita de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é uma avaliação de um oftalmologista e Otorrinolaringologista. Havendo alguma situação do foro da saúde visual ou auditiva que mereça tratamento, estes são os primeiros tratamentos a que as crianças estão sujeitas.

Os problemas de visão e de audição são muito mais frequentes do que imaginamos, mas as crianças não se queixam e compete-nos, enquanto pais informados, estarmos atentos e assegurarmos que as nossas crianças fazem rastreios visuais e auditivos. Dependendo da idade, cada criança é propensa a ter um tipo de problema de visão ou audição, que pode afetar ou gerar outros problemas. É, por isso, muito importante levarmos os nossos filhos ao oftalmologista e ao otorrinolaringologista, para realizar exames visuais e auditivos, periodicamente, começando quando ainda são bebés.

O segredo é começarmos o mais cedo possível. Quando mais rapidamente identificarmos alguma situação que mereça tratamento, mais rapidamente os nossos filhos começam a corrigir os seus problemas, o que lhes vai permitir ter um desenvolvimento saudável.

Para garantir que os olhos dos nossos filhos se desenvolvem normalmente, o cérebro necessita de certos impulsos. Contudo, caso os olhos tenham algo de errado, estes impulsos podem não ocorrer. Caso se detectem e tratem, de início, os problemas de visão, a criança pode vir a ter uma visão normal. Caso tenha observado alguma das seguintes condições nos seus filhos, marque uma consulta no optometrista, pois estes sintomas podem, eventualmente, significar problemas visuais:

· Estrabismo óbvio e permanente

· A manutenção ininterrupta da cabeça em posição inclinada

· Olhos muito grandes

· Actos de evitar a luz ou de não resposta à luz

· Esfregar dos olhos obsessivo com dedos, contraindo o rosto

· Virar os olhos sem focar nada

· Não percepção de objectos procurados

Ao nível auditivo é importante estarmos atentos a atrasos no desenvolvimento da fala e à falta de rendimento escolar, uma vez que podem estar relacionados com a falta de audição.

Em crianças mais velhas, os problemas visuais podem, também, ser evidentes nas seguintes peculiaridades:

· A criança tropeça ou vai contra a mobília, frequentemente

· Aumento de problemas visuais no crepúsculo ou no escuro

· Declínio súbito das notas escolares

· A criança não gosta de ler

· A criança isola-se das outras crianças

· Dores de cabeça recorrentes podem, também, indiciar problemas de visão

As crianças assimilam perto de 90% de tudo o que aprendem através dos olhos. Por conseguinte, a detecção atempada dos problemas visuais é fulcral. Como com qualquer outro problema de saúde, aplica-se o mesmo princípio: quanto mais cedo se detectar o problema, mais rápido e efectivo será o tratamento.

Fique atento, previna-se fazendo rastreios regulares, e ajude o seu filho a tirar partido do seu potencial individual, abrindo-lhe novos horizontes, e mostrando-lhes o mundo de uma forma mais nítida, estereofónica e essencialmente inspirada.

José Geraldes, Director Técnico do Centrooptico

@centroopticangola