É isso aí, Mister President!

Diz o velho adágio que o exemplo vem de cima.

11 Jan 2020 / 08:00 H.
Quingila Hebo

Não adianta apregoar contenção de gastos, aperto de cinto e redução das mordomias se os donos disto tudo, até 2022, continuarem a realizar viagens milionárias para o exterior até para passar férias. João Lourenço acabou de dar um grande exemplo aos seus auxiliares - e a todos nós -, ao decidir gozar férias cá.

Este exercício traz dois pontos para reflexão: o primeiro é um recado para os seus sobordinados, que terão que esquecer, por um período, as casas de férias que têm em Cascais, Toulouse, Cape Town ou Londres. A segunda é que Mister President acaba de, indirectamente, traçar uma rota do turismo interno. Doravante, não tenho dúvidas de que há quem quererá passar férias seguindo a rota do PR. Eu, particularmente, penso assim: se ele esteve lá, é porque é bom.

Outro ponto para reflexão - embora sejam sobejamente conhecidas as condições de conforto em que é transportado um Presidente: nalgum momento deve ter tomado conhecimento dos problemas básicos que afligem os turistas, como estradas esburacadas e telecomunicações débeis. A questão dos preços, seria bom que também soubesse, embora pouco ou nada possa fazer, pois estamos numa economia de mercado, onde a estrutura de custos, a procura e a oferta determinam o preço final. Mas é isso aí, Senhor Presidente. Nas próximas férias, sugiro que passe também por Malange.