Turismo começa a recuperar em África

A pesar da indústria do turismo ter estado parada durante os últimos meses devido ao prolongar da pandemia global causada pelo novo coronavírus e, de certa forma para prevenir ajuntamentos, à medida que a situação dá sinais de melhorias, várias regiões entram numa fase de regresso à normalidade.

Luanda /
11 Jul 2020 / 18:08 H.

A actividade no sector começa a voltar a acordar e, com o regressar da confiança e a vontade da população em viajar, a indústria entra numa tendência positiva.

Na véspera do festival do Barco de Dragão, com a duração de três dias no continente, James Liang, co-fundador e presidente executivo da plataforma de viagens online Trip.com, organizou em Hengqin uma emissão ao vivo para promover a região e a Área da Grande Baía como destino turístico.

Com mais de 3,1 milhões de pessoas a assistir ao live-streaming, de cerca de uma hora, o valor bruto total de vendas de produtos turísticos (GMV) atingiu os 35 milhões de RMB. Pela primeira vez foram vendidos 9.453 bilhetes, em uma hora, com a oferta de “reembolso ilimitado” da Hong Kong Airlines e da Air Macau. E o Hotel Chimelong Zhuhai recebeu também mais de 30 mil reservas (número de quartos multiplicado pelo número de noites). Estes resultados são a prova da procura que está de regresso ao mercado de turismo.