Trump diz que vai ser reeleito graças à "maioria silenciosa"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, invocou neste domingo a "maioria silenciosa" para mostrar a sua confiança numa vitória nas próximas eleições presidenciais, apesar de aumentarem tensões sociais em várias cidades norte-americanas.

Luanda /
27 Jul 2020 / 10:47 H.

“Na opinião de muitos observadores, a campanha de Trump gera mais entusiasmo do que qualquer outra campanha na história do nosso grande país, ainda mais do que em 2016″, escreveu Trump na sua conta pessoal da rede social Twitter.

Apesar de as sondagens apresentarem o candidato democrata, Joe Biden, à frente das intenções de voto nas eleições presidenciais de Novembro próximo e apesar de os níveis de violência aumentarem nas contestações sociais em várias cidades norte-americanas, Trump mantém a confiança na sua reeleição para um segundo mandato.

“Biden não tem (hipótese)! A maioria silenciosa falará em 03 de Novembro”, escreveu o Presidente, prometendo derrotar as sondagens que o apresentam oito pontos atrás do seu adversário democrata em vários estados norte-americanos, incluindo Arizona, Florida e Michigan.

Trump aposta numa campanha centrada no restabelecimento da “lei e da ordem”, quando as manifestações antirracistas e contra a violência policial provocam o caos em diversos estados.

No sábado, um homem foi morto por uma bala numa manifestação em Austin, a capital do estado do Texas, na mesma noite em que se multiplicaram confrontos violentos em Seattle, Portland, Omaha, Oakland, Los Angeles, Nova Iorque e Louisville, em protestos ligados ao movimento Black Lives Matter, iniciado após a morte do afro-americano George Floyd, em Minneapolis, em Junho, asfixiado sob escolta policial.

O Presidente tem enviado agentes federais para várias cidades, apesar dos protestos de governadores e autarcas democratas que se queixam da ingerência da Casa Branca na segurança dos seus territórios.

Joe Biden também já criticou o comportamento do Presidente, acusando-o de desrespeitar a Constituição e procurar impor um “estado militarizado”, referindo-se à presença dos agentes federais, que se apresentam sem uniforme nas manifestações de protesto.

Trump tem respondido dizendo que os dirigentes democratas estão a falhar no seu papel de garantir a segurança dos cidadãos e acusa Biden de prometer retirar fundos de financiamento para as forças de segurança.