Presidente francês pediu sacrifícios para travar a epidemia

Segundo a Lusa o Presidente Emmanuel Macron descreveu um "estado de guerra contra um inimigo invisível". A partir de amanhã ao meio-dia as fronteiras europeias fecham.

17 Mar 2020 / 13:29 H.

A partir de amanhã, ao meio-dia, e durante pelo menos duas semanas, as deslocações vão ser limitadas em todo o território francês.

“Decidi reforçar uma vez mais as medidas para reduzir as deslocações e contactos ao mínimo necessário.

A partir de amanhã, ao meio-dia e durante pelo menos duas semanas, as deslocações em França vão ser extremamente reduzidas. Permanecerão apenas as deslocações necessárias: ir às compras, de forma disciplinada e cumprindo as distâncias de segurança de pelo menos um metro, as deslocações por motivos médicos, as deslocações para ir trabalhar, quando o trabalho à distância é impossível, e ainda os percursos por motivos de actividades física, mas sem combinar encontros com amigos”, anunciou o chefe de Estado francês.

A França cria novas condições para os trabalhadores do sector da saúde; “a partir de amanhã táxis e hotéis estarão disponíveis para trabalhadores do sector de saúde. O Estado pagará”.

O balanço da epidemia em França é de 148 mortes e 6633 casos confirmados – isto é, mais 21 mortos e 1210 casos nas últimas 24 horas.

Temas