Presidente de Taiwan afirma que China deve aceitar ilha como país independente

A Presidente reeleita de Taiwan defendeu que a China deve aceitar que o território é um país independente, alertando que qualquer tentativa de reunificação pela força teria um alto custo para Pequim.

China /
15 Jan 2020 / 11:16 H.

Na primeira entrevista desde a reeleição, Tsai Ing-wen, de 63 anos, disse sentir que a proclamação de independência por Taiwan não é, contudo, necessária.

“Não precisamos de declarar que somos um Estado independente”, disse à cadeia televisiva britânica BBC. “Nós já somos um país independente, chamado República da China, Taiwan”, sublinhou.

Apesar de historicamente chinês, Taiwan funciona como um território autónomo desde 1949, altura em que o antigo governo nacionalista de Chiang Kai-shek se refugiou na ilha, após a derrota na guerra civil frente às forças comunistas.

Tsai, que centrou a campanha na ideia de que Taipé deve resistir às ameaças e autoritarismo do regime chinês, venceu as presidenciais, no sábado passado, com 57,1% dos votos.

A líder obteve 8,2 milhões de votos, mais do que quando foi eleita em 2016, num sinal de que a opinião publica de Taiwan é cada vez mais avessa a uma reunificação com o continente chinês.

Temas