PM do Paquistão diz que responderá a qualquer agressão da Índia

O Paquistão responderá a qualquer agressão da Índia sobre a Caxemira paquistanesa, alertou hoje o primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, após os indianos retirarem o estatuto especial que existia para a Caxemira indiana.

Índia /
14 Ago 2019 / 15:40 H.

“Os militares paquistaneses têm informações sólidas de que (os indianos) pretendem fazer alguma coisa na Caxemira paquistanesa”, disse Khan num discurso em Muzaffarabad, capital da Caxemira paquistanesa.

“Decidimos que se a Índia cometer alguma violação, vamos lutar até o fim. Está a chegar o momento de vos ensinar uma lição”, acrescentou.

A mudança de tom foi muito forte do lado paquistanês, já que o ministro dos Negócios Estrangeiros do Paquistão, Shah Mehmood Qureshi, tinha dito na quinta-feira passada que o seu país “(não) considerara a opção militar.

“Estamos a estudar as opções políticas, diplomáticas e legais”, disse na altura Qureshi.

As tensões entre os dois vizinhos aumentaram depois de a Índia ter revogado, há dez dias, a revogação da autonomia constitucional do estado de Jammu-Caxemira, medida explosiva que visa colocar a região sob uma tutela mais directa de Nova Deli e que o Paquistão considerou “ilegal”.

Desde 04 de agosto, a Caxemira indiana está isolada do mundo. O controlo sobre as comunicações e restrições pesadas de circulação foram impostos pelas autoridades indianas.

Temendo protestos em massa, Nova Deli também enviou dezenas de milhares de soldados adicionais para a Caxemira indiana.