ONU quer mais dinheiro para combater praga de gafanhotos em África

A Organização das Nações Unidas (ONU) apelou ontem à comunidade internacional por “mais fundos” financeiros para apoiar de “imediato os países afectados” pela maior praga de gafanhotos no continente africano nos últimos 25 anos.

11 Fev 2020 / 14:02 H.

De acordo com Jornal de Angola, o subsecretário-geral da ONU para os Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, afirmou que o apoio financeiro é destinado a 13 milhões de pessoas na Etiópia, Somália, Quénia, Djibuti e Eritreia que estão a ser afectadas pela ‘nuvem’ de gafanhotos.

Segundo a nota da ONU, “uma nuvem (de gafanhotos) de até 2,4 mil quilómetros quadrados foi observada no nordeste do Quénia” e estima-se que “os cerca de 200 mil milhões de insetos observados” consigam comer o equivalente para “alimentar 84 milhões de pessoas” num dia. A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla inglesa) pediu 70 milhões de dólares, em 30 de janeiro, para mobilizar urgentemente a ajuda necessária às populações do Quénia, Somália e Etiópia, prossegue o comunicado.