OMS pede 613 milhões de euros para combater coronavírus

Embora o director da OMS tenha admitido que se trata de muito dinheiro, este é “muito menos do que a conta que se terá de pagar se não se investir agora”.

China /
06 Fev 2020 / 08:46 H.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) apelou esta quarta-feira, 5 de fevereiro, à criação de um fundo de 675 milhões de dólares (613 milhões de euros) para combater a epidemia causada pelo coronavírus durante os próximos três meses.

“Estamos a pedir 675 milhões de dólares para financiar o plano para os próximos três meses, dos quais 60 milhões destinam-se a financiar as operações da OMS e o restante é para países que estão particularmente em risco”, apelou o director da OMS, Tedros Adhanom Gebreyesus, em conferência de imprensa, referindo-se ao epicentro na China e aos países onde o vírus mais tem surgido.

Embora o responsável máximo da OMS tenha admitido que se trata de muito dinheiro, este é “muito menos do que a conta que se terá de pagar se não se investir agora”. O responsável sublinhou que a agência especializada das Nações Unidas ia enviar, primeiramente, equipamentos de protecção para os 24 países onde já se verificam casos de contágio, nomeadamente 500 mil máscaras e 350 mil pares de luvas bem como 250 mil testes para mais de 70 laboratórios.

No fim de Janeiro, a Organização Mundial da Saúde elevou o contágio de coronavírus a “emergência de saúde pública de interesse internacional”. De relembrar que até à data, a OMS utilizou o termo de emergência internacional nos casos da gripe suína em 2009, do vírus Zika em 2016 e do Ébola desde 2018.

A China elevou esta quarta-feira o número de mortos para mais de 490 e afirmou que existem mais de 24.300 infectados. Cerca de 64 mortes foram registadas na China durante as últimas 24 horas.