Fim do apoio monetário não terá efeito negativo no emprego nos EUA

“O mercado de trabalho tem recuperado a um ritmo bastante rápido”, da crise causada pela pandemia na primavera de 2020, afirma o presidente do banco central norte-americano.

Luanda /
12 Jan 2022 / 17:13 H.

O presidente do banco central norte-americano, Jerome Powell, considerou que o fim do apoio monetário à economia não terá um impacto negativo no mercado laboral, avançou o Dinheiro Vivo.

“É realmente tempo de começarmos a passar de uma situação de emergência associada à pandemia para um nível mais normal”, afirmou Powell durante a sua audição no Senado para ser confirmado por mais quatro anos à frente da Reserva Federal (Fed). “Isso não deverá ter efeitos negativos no mercado laboral”, acrescentou, sublinhando que o emprego é dinâmico.

“O mercado de trabalho tem recuperado a um ritmo bastante rápido”, da crise causada pela pandemia na primavera de 2020.

Na sua intervenção, Powell disse ainda que a ameaça da inflação é a mais preocupante, indicando que pode manter-se até meio do ano, mas garantiu que se persistir depois disso, o banco central estará pronto a agir, sugerindo que poderá ser decidida uma subida mais agressiva das taxas de juro.

Se a pressão inflacionista continuar “reagiremos em consequência”, afirmou Jerome Powell, explicando que a estabilidade de preços “está no topo da lista de prioridades” da Fed.

No entanto, “o regresso à normalidade vai levar algum tempo”, disse, numa altura em que a taxa dos fundos federais está próxima de zero.