Reunião de emergência garante aumento das sanções da UE à Rússia

O conselho de ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, reunido de emergência em Nova Iorque, “decidiu manter a ajuda militar à Ucrânia e aumentar as sanções económicas, sectoriais e individuais à Rússia”, disse Borrell aos jornalistas no final do encontro

22 Set 2022 / 09:50 H.

O chefe da diplomacia europeia diz que os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE se reuniram de emergência em Nova Iorque e acordaram manter ajuda à Ucrânia e sanções à Rússia.

A União Europeia vai manter a ajuda militar à Ucrânia e aumentar as sanções à Rússia, anunciou o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, no final de uma reunião de emergência em Nova Iorque.

O conselho de ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, reunido de emergência em Nova Iorque, “decidiu manter a ajuda militar à Ucrânia e aumentar as sanções económicas, sectoriais e individuais à Rússia”, disse Borrell aos jornalistas no final do encontro.

Foi uma decisão tomada rapidamente nesta reunião de emergência do conselho de ministros dos Negócios Estrangeiros e que demonstra a determinação da União Europeia (EU) em continuar a ajudar a Ucrânia a enfrentar a agressão russa”, salientou.

Borrell remeteu para mais tarde as medidas detalhadas, referindo que só poderão ser definidas numa reunião formal, e manifestou-se certo de que será alcançado “um acordo unânime para as novas sanções”.

O alto representante da UE para os Negócios Estrangeiros adiantou apenas que há a intenção de afectar sectores tecnológicos russos e deu como certo que “vai haver uma nova lista de pessoas” abrangidas pelas sanções a adoptar.