Putin apela à indústria de armamento da Rússia para aumentar produção

Líder russo usou pela primeira vez a palavra "guerra", num primeiro discurso à nação desde o início da guerra

Europa /
21 Set 2022 / 09:10 H.

Num discurso à nação pela primeira vez desde o início da invasão russa, Vladimir Putin disse pela primeira vez a palavra "guerra" e apelou à indústria de armamento russa para aumentar a produção para compensar o fornecimento de armas para a guerra na Ucrânia, informou a Lusa.

O líder russo justificou a decisão com ataques ucranianos contra civis russos, referindo os "mercenários do Ocidente que fornecem armamento às forças armadas ucranianas".

Num discurso pré-gravado, que estava marcado para terça-feira à noite mas só passou esta quarta-feira, pelas 7h de Portugal, Putin justificou a sua agressão militar e pronunciou a palavra "guerra" pela primeira vez: "Os ocidentais empurraram a Ucrânia para a guerra connosco".

O maior anúncio deste discurso foi uma "mobilização militar parcial". O chefe de Estado sublinhou que "são necessários passos para defender a soberania e integridade territorial da Rússia".

"Apenas os cidadãos que se encontram actualmente na reserva e, sobretudo, aqueles que serviram nas Forças Armadas, têm certas especialidades militares e experiência relevante, serão sujeitos a alistamento", afirmou.

Recorde-se que foi anunciado que os territórios separatistas pró-russos da região de Donbass, na Ucrânia, vão realizar de 23 a 27 de Setembro referendos para decidirem sobre a sua anexação pela Rússia.