Merkel admite ter uma “relação conflituosa” com Presidente francês

A chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu ter um “relacionamento conflituoso” com o Presidente francês, Emmanuel Macron, numa entrevista publicada pelo diário alemão Suddeutsche Zeitung.

Paris /
16 Mai 2019 / 12:21 H.

“É claro que temos um relacionamento conflituoso”, respondeu a chanceler alemã, explicando que “há diferenças de mentalidade” entre ela e o Presidente francês, bem como na forma como entendem o seu papel político.

Os dois líderes tiveram várias desavenças nos últimos meses, sobre o congelamento de vendas de armas para a Arábia Saudita, decidido pela Alemanha após o assassínio do jornalista Jamal Khashoggi, sobre o futuro da União Europeia ou sobre os sucessivos adiamentos concedidos ao Reino Unido para o ‘Brexit’.

A chanceler, no entanto, destaca nesta entrevista o “enorme progresso” que foi alcançado na área da defesa, onde têm demonstrando posições aproximadas e apresentaram programas de desenvolvimento militar comuns.

“Decidimos desenvolver um caça e um tanque juntos. (...) É um sinal de confiança contarmos uns com os outros em política de defesa”, afirmou Merkel.

Os dois líderes também assinaram em janeiro o Tratado de Aix-la-Chapelle sobre cooperação e integração franco-alemã.

Quando interrogada sobre se as relações entre ambos se deterioraram nos últimos meses, Merkel rejeitou firmemente: “Não, de maneira nenhuma”

A chanceler assinalou que na altura do discurso de Macron na Universidade Sorbonne, em Paris, em setembro de 2017, sobre a revitalização da Europa, ela estava a acabar de sair de eleições e a tentar negociar uma nova coligação na Alemanha, pelo que fez observações críticas sobre as propostas europeias de Macron.