Justiça espanhola arquiva investigação sobre morte de José Eduardo dos Santos

Na decisão conhecida terça-feira, 4, o juiz refere que “a carência de indícios de dito delito, face ao relatório definitivo da autópsia e dos documentos de saúde integrados nos autos, conduzem ao encerramento provisório e ao arquivamento do processo”.

Luanda /
05 Out 2022 / 09:04 H.

A justiça espanhola arquivou a investigação sobre a morte do ex-Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, confirmando que se deveu a causas naturais, segundo uma decisão de um Tribunal de Barcelona.

A decisão do Tribunal de Barcelona deve-se ao facto de ter concluído que José Eduardo dos Santos morreu de “causas exclusivamente naturais” no passado dia 08 de Julho, como já haviam determinado as conclusões iniciais da autópsia.

A investigação judicial foi aberta na sequência de uma queixa de alguns filhos do ex-Presidente de Angola, que invocavam a possibilidade de o pai ter morrido por negligência nos cuidados que lhe foram prestados pelo médico pessoal e pela viúva, Ana Paula dos Santos.

Na decisão conhecida esta terça-feira, 4, o juiz refere que “a carência de indícios de dito delito, face ao relatório definitivo da autópsia e dos documentos de saúde integrados nos autos, conduzem ao encerramento provisório e ao arquivamento do processo”.

“Não existem elementos que permitam considerar que não lhe foram prestados cuidados em algum momento”, lê-se na decisão do Tribunal de Barcelona.

José Eduardo dos Santos, que governou Angola de 1979 a 2017, faleceu aos 79 anos na Clínica Teknon, em Barcelona, onde estava internado após sofrer uma parada cardíaca a 23 de Junho.