Economia de Francisco reúne jovens para a criação de uma economia mais justa e sustentável

O evento conta com a participação de jovens economistas, pesquisadores e empresários de diferentes países, incluindo Angola, onde vão compartilhar suas experiências, trabalhos, propostas e reflexões amadurecidas em diferentes grupos, nos últimos meses.

Luanda /
19 Nov 2020 / 12:45 H.

O evento Economia de Francisco (The Economy of Francesco 2020), que reúne virtualmente jovens de todo o mundo, terá início nesta quinta-feira (19) e vai até 21 de Novembro deste ano. A ideia é discutir uma nova economia mundial, que valorize mais a solidariedade do que o lucro.

A Economia de Francisco, proposta pelo Papa Francisco, é um movimento de jovens com rostos, personalidades, ideias que se move e vive em todo o mundo por uma economia mais justa, inclusiva e sustentável e para dar uma alma à economia de amanhã.

Inicialmente, o evento seria presencial, onde jovens de diferentes países de todo mundo, incluindo Angola, se deslocariam à Itália. Dada a emergência sanitária em nível mundial provocada pela COVID-19, a comissão organizadora decidiu celebrar o evento internacional de modo totalmente online, com eventos ao vivo e em “streaming” com todos os inscritos e palestrantes. Também está confirmada a participação do Papa Francisco na modalidade virtual.

O evento em versão online, permitirá que todos os jovens inscritos participem do encontro nas mesmas condições, compartilhem suas experiências, trabalhos, propostas e reflexões amadurecidas nos últimos meses nas "12 aldeias". Ao todo, serão cerca de dois mil economistas e empreendedores com menos de 35 anos, de 115 países.

O encontro abordará diversos temas: trabalho e cuidado; gestão e dom; finança e humanidade; agricultura e justiça; energia e pobreza; lucro e vocação; políticas para a felicidade; CO2 da desigualdade; negócios e paz; economia e mulher; empresas em transição; vida e estilos de vida.

O evento terá a participação de especialistas convidados por Francisco, entre os quais, com presença já confirmada, o também economista e filósofo indiano, Prêmio Nobel de Economia 1998, Amartya Sen; o economista e ensaísta estadunidense, da Columbia University, Jeffrey Sachs; e o economista e banqueiro bengalês, Prêmio Nobel da Paz 2006, Muhammad Yunus, também conhecido como o banqueiro dos pobres.

A Economia de Francisco conta com o apoio do projecto Economia de Comunhão (EdC), que surgiu em Maio de 1991, como uma resposta concreta ao problema social e ao desequilíbrio económico e do capitalismo em geral.

A EdC é dirigida primariamente às empresas, a proposta foi colocar em comum a riqueza produzida e fundamentar a dinâmica operacional sobre a comunhão e a fraternidade.

Actualmente centenas de empresas, no mundo inteiro, inspiram-se na EdC, ao adoptar uma governação centralizada na fraternidade, partilhando a riqueza produzida.