Coronavírus já está a provocar demissões no Partido Comunista chinês

Dois dos governantes com maior peso em Wuhan, o epicentro do coronavírus, foram demitidos dos seus cargos.

China /
13 Fev 2020 / 13:07 H.

O surto do coronavírus está também a provocar demissões no Partido Comunista da China. De acordo com a imprensa estatal, o chefe do Partido Comunista da província de Wuhan, Jiang Chaoliang, foi demitido de secretário do Comité de Hubei, e Ma Guoqiang foi retirada como chefe do partido, avança a agência “Reuters” esta quinta-feira, 13 de fevereiro.

Apesar de não ter sido apresentada uma informação oficial, as demissões acontecem depois do surto de coronavírus e estes dois elementos são dos que têm maior peso no Partido Comunista em Wuhan, segundo a Reuters. As demissões provocadas pelo coronavírus estendem-se também a dezenas de elementos de autoridades de saúde em todo o país, que também perderam os seus empregos por não terem conseguido conter a epidemia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) referiu na quarta-feira que o número de casos de infeção na China estabilizou, mas que ainda é muito cedo para dizer que a epidemia está a abrandar. “Este surto ainda pode seguir em qualquer direcção”, referiu o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, numa entrevista em Genebra, na Suíça.

Os cientistas chineses estão a testar dois medicamentos antivirais e os resultados preliminares dos ensaios clínicos deverão demorar várias semanas a serem conhecidos, enquanto uma vacina poderá levar 18 meses para ser desenvolvida. A província chinesa de Wuahn está no epicentro do surto do coronavírus, tendo registado um aumento recorde de mortes e milhares de casos na quinta-feira, através de um novo método de diagnóstico, sinais de que a crise é muito maior tanto para a China, como para o mundo.

As autoridades de saúde de Hubei informaram que 242 pessoas morreram devido ao vírus da gripe na quarta-feira, o aumento mais rápido na contagem diária desde que o vírus foi identificado em dezembro. Este número elevou o total de mortes pelo coronavírus para mais de 1.350, dos quais cerca de 1.310, registados em Hubei. Cerca de 60 mil pessoas já foram confirmadas como portadoras do vírus, a grande maioria na China.