Colômbia recusa pedido da ONU para dialogar com o Governo venezuelano

A Colômbia recusou ontem um pedido do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, para reduzir as tensões bilaterais com a Venezuela, que desde 10 de Setembro realiza exercícios militares próximo da fronteira com o país vizinho.

13 Set 2019 / 10:31 H.

“Nós somos defensores da democracia e dos valores democráticos, e reconhecemos Juan Guaidó como o único presidente legítimo da Venezuela e a Assembleia Nacional (parlamento) como o único órgão legítimo, democrático, que tem esse país”, disse o Presidente da Colômbia aos jornalistas.

Segundo Iván Duque, a Colômbia “tem denunciado a ditadura, como o têm feito muitos países do mundo” e “não é apenas a Colômbia, há mais de 50 países que reconheceram Juan Guaidó e a Assembleia Nacional e que pedem o fim essa ditadura”.

“Nós não temos planos de agredir ninguém mas também somos claros, a Colômbia não vai deixar de denunciar o que está a acontecer com essa ditadura que está a proteger grupos terroristas no seu território, para atentar contra a Colômbia, como é o caso do Exército de Libertação Nacional (ELN)”, explicou.

O Presidente da Colômbia insistiu que tem tido uma posição política clara sobre o regime do Presidente Nicolás Maduro e o comportamento do Governo venezuelano de amparar membros das subversivas Forças Aéreas Revolucionárias da Colômbia, afirmando que isso “viola o Direito Internacional, a resolução 1373 das Nações Unidas”.