Cimeira extraordinária da SADC debate apoio militar em Cabo Delgado

A Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) realiza esta quarta-feira, em Lilongwe (Maláui), uma cimeira extraordinária que vai debater a missão militar que apoia Moçambique no combate a grupos armados em Cabo Delgado.

Luanda /
12 Jan 2022 / 09:56 H.

“A cimeira irá, entre outros assuntos, discutir o apoio para a operacionalização dos objectivos da Missão Militar da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral em Moçambique [SAMIM, na sigla inglesa] para restaurar a paz e estabilidade em Cabo Delgado”, indica um comunicado da organização.

A cimeira será presidida pelo chefe de Estado do Maláui, Lazarus Chakwera, actualmente o presidente em exercício da SADC.

O evento foi antecedido, na terça-feira, pela cimeira extraordinária da ‘troika’ de Cooperação nas Áreas de Política e Defesa da SADC, presidida pelo chefe de Estado sul-africano, Cyril Ramaphosa, que é presidente do órgão.

Na agenda dos dois eventos está o debate dos progressos da missão militar da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral que apoia Moçambique no combate a grupos rebeldes em Cabo Delgado.

“Devemos todos estar cientes da necessidade de continuar a combater o terrorismo em Moçambique, um país irmão”, declarou na terça-feira Cyril Ramaphosa, presidente da ‘troika’ das áreas de Política e Defesa da SADC.

Para Ramaphosa, a missão, cujo mandato terminava no sábado, deve continuar, na medida em que o restabelecimento da paz em Moçambique vai contribuir para a ambição de uma região estável.

“Estamos a notar progressos significativos no domínio da segurança, o que traz a possibilidade de um reinício de uma vida normal em Cabo Delgado [...], a nossa missão é agora estender a missão no terreno, uma decisão que deve ser homologada na cimeira desta quarta-feira”, declarou.