Carles Puidgemont sai em liberdade e sem fiança

O líder independentista declarou que está disposto a cooperar com a Bélgica durante o processo de extradição, pedido por Espanha, depois de comparecer hoje perante as autoridades.

18 Out 2019 / 12:37 H.

Depois de comparecer às autoridades belgas esta sexta-feira, Carles Puigdemont foi libertado sem fiança.

O antigo presidente da Catalunha compareceu hoje perante as autoridades legas e declarou que não quer ser extraditado.

O líder independentista “está a seguir todos os passos oficiais para este procedimento”. Ao ser notificado, Puigdemont “opôs-se à sua entrega” às autoridades espanholas, avança a agência Efe.

Acompanhado dos seus advogados, o ex-presidente da Generalitat compareceu perante as autoridades belgas na manhã desta sexta-feira de forma voluntária.

Fontes próximas de Puigdemont disseram ao Le Soir que o político se “apresentou pela sua própria iniciativa”, deixando mais explicações para mais tarde.

Neste momento, o antigo presidente catalão encontra-se na sede do ministério público da Bélgica, em Bruxelas.

Resta saber se o presidente vai ser interrogado, podendo permanecer detido 24 horas enquanto um juiz avalia três opções: rejeitar a extradição, manter Puigdemont em prisão preventiva, ou libertá-lo sob determinadas condições como a impossibilidade de viajar ou o pagamento de uma fiança.

Segundo o El Pais, o juiz poderá considerar que não existe risco de fuga, com o político a permanecer em liberdade antes de voltar a ser chamado.

As autoridades belgas receberam na quinta-feira o terceiro mandato de detenção europeu para deterem e extraditarem um dos responsáveis pela realização do referendo ilegal independentista na Catalunha em outubro de 2017.

O mandato de detenção foi ordenado pelo juiz instrutor do processo independentista Pablo Llarena, depois de o Supremo Tribunal espanhol ter condenado 12 líderes independentistas a penas de prisão entre oito e 13 anos pelo seu papel no referendo ilegal em 2017.

Carles Puigdemont encontra-se fugido na Bélgica às autoridades espanholas desde o final de 2017. Paul Bekaert, o advogado do político catalão, assegurou que Puigdemont vai-se apresentar à justiça belga quando for convocado e que está disposto a colaborar com as autoridades belgas durante este processo.

O antigo líder catalão compareceu perante as autoridades belgas no mesmo dia em que tem lugar uma greve geral na Catalunha convocada por sindicatos independentistas em protesto contra a prisão dos líderes independentistas.

Temas