Bill Gates acredita que pandemia está perto do fim e prevê vacinação anual contra a COVID-19

O fundador da Microsoft defende que quando a variante da Ómicron atingir o pico, a COVID-19 será tratada como “uma gripe sazonal”, contrariando os alertas da OMS sobre a possibilidade de aparecer uma nova variante mais mortal.

14 Jan 2022 / 10:26 H.

Bill Gates acredita que a pandemia da COVID-19 estará perto do fim e prevê que a vacinação contra o vírus possa vir a tornar-se anual.

Esta previsão do fundador da Microsoft foi feita durante uma entrevista feita através do Twitter com Devi Sridhar, presidente da Universidade de Edimburgo, na qual defendeu que quando a variante da Ómicron atingir o pico, a Covid-19 será tratada como “uma gripe sazonal”.

Deste modo, Bill Gates contraria o alerta dado pelo médico e conselheiro da Organização Mundial de Saúde (OMS) Bruce Aylward, de que a Ómicron não será provavelmente a última variante da COVID-19. “A Ómicron provavelmente não será a última variante da COVID-19. Ainda não sabemos, mas quanto mais o vírus circula, maior a probabilidade de haver uma nova variante mais mortal que a Ómicron”, afirmou.

Por sua vez, o fundador da Microsoft acredita que a variante da Ómicron irá criar uma imunidade a nível mundial durante este ano, fazendo com que dessa forma a vacinação anual contra a COVID-19 seja levada a cabo durante algum tempo.

Bill Gates defende o processo de vacinação, dado que este “previne doenças graves e morte”, mas avisa que é necessário encontrar um processo que permita esterilizar as vacinas para que as infecções não se espalhem e o período de imunidade não seja limitado.

O fundador da Microsoft defende que quando a variante da Ómicron atingir o pico, a COVID-19 será tratada como “uma gripe sazonal”, contrariando os alertas da OMS sobre a possibilidade de aparecer uma nova variante mais mortal.

Bill Gates acredita que a pandemia da COVID-19 estará perto do fim e prevê que a vacinação contra o vírus possa vir a tornar-se anual.

Esta previsão do fundador da Microsoft foi feita durante uma entrevista feita através do Twitter com Devi Sridhar, presidente da Universidade de Edimburgo, na qual defendeu que quando a variante da Ómicron atingir o pico, a Covid-19 será tratada como “uma gripe sazonal”.

Deste modo, Bill Gates contraria o alerta dado pelo médico e conselheiro da Organização Mundial de Saúde (OMS) Bruce Aylward, de que a Ómicron não será provavelmente a última variante da COVID-19. “A Ómicron provavelmente não será a última variante da COVID-19. Ainda não sabemos, mas quanto mais o vírus circula, maior a probabilidade de haver uma nova variante mais mortal que a Ómicron”, afirmou.

Por sua vez, o fundador da Microsoft acredita que a variante da Ómicron irá criar uma imunidade a nível mundial durante este ano, fazendo com que dessa forma a vacinação anual contra a COVID-19 seja levada a cabo durante algum tempo.

Bill Gates defende o processo de vacinação, dado que este “previne doenças graves e morte”, mas avisa que é necessário encontrar um processo que permita esterilizar as vacinas para que as infecções não se espalhem e o período de imunidade não seja limitado.

Temas