Base do Brasil na Antártida reaberta após destruição por incêndio

O Brasil inaugurou na quarta-feira a Estação Antártida Comandante Ferraz, que havia sido destruída por um incêndio em 2012, com a presença de várias figuras de Estado, como o vice-Presidente e três ministros.

Brasil /
16 Jan 2020 / 10:08 H.

Localizada na lha do Rei George, na Antártida, a base tem as suas operações e logística asseguradas pela Marinha brasileira, com a apoio da Aeronáutica, tendo contado com um investimento de 100 milhões de dólares (cerca de 90 milhões de euros), segundo a imprensa local.

“A ocasião é de júbilo, reconhecimento e homenagem. As novas instalações representam o avanço da presença do Brasil neste continente e um avanço qualitativo expresso no compromisso do Governo federal com o desenvolvimento das actividades científicas ligadas às questões climáticas e ambientais”, disse o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, no discurso de inauguração.

O vice-Presidente do país sul-americano deslocou-se à Antártida acompanhado pelos ministros da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e da Infra-estrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, além de representantes da Marinha e outras autoridades.

“A base possibilitará a presença brasileira numa plataforma sustentável, que permitirá conhecer melhor este enorme continente de características ímpares, bem como reafirmar o compromisso do Brasil como membro consultivo do Tratado [da Antártida] para participar das decisões sobre os destinos dessa região”, afirmou o comandante da Marinha do Brasil, Ilques Barbosa.