Taiwan lança fundo para ajudar a Lituânia no bloqueio feito pela China

A Lituânia tem planeado abrir a sua própria representação em Taiwan em 2022

Luanda /
06 Jan 2022 / 13:03 H.

Taiwan lançou na quarta-feira um fundo de 176 milhões de euros para investir na Lituânia, numa altura em que as empresas deste país báltico sofrem com o bloqueio das exportações decretado pela China, após a quebra de laços diplomáticos.


Vamos lançar um fundo de investimento de 200 milhões USD para investir nas empresas lituanas, que são estratégicas para a Lituânia e Taiwan", destacou Eric Huang, chefe da representação diplomática de Taiwan em Vílnius.

O responsável acrescentou que o fundo de investimento faz parte da estratégia de Taiwan para desenvolver laços económicos com o país do báltico, após as medidas decretadas pela China.

A Lituânia autorizou Taiwan a abrir uma representação diplomática em Vílnius em novembro, o que causou contestação por parte de Pequim, que teme que estas medidas ajudem a dar legitimidade internacional à ilha que considera fazer parte da China.

O fundo deverá investir em semicondutores, lasers, biotecnologia e outras indústrias semelhantes e os investimentos iniciais estão previstos para este ano, noticia a agência AFP.

Vílnius acusa Pequim de bloquear as suas exportações, em protesto contra a abertura da representação taiwanesa naquele país.

A China tinha também anunciado em 25 de novembro que deixaria de emitir vistos para a Lituânia, quatro dias depois de ter cortado relações comerciais e diplomáticas com o país báltico.

Uma fábrica de bebidas destiladas da Lituânia divulgou esta semana que recuperou mais de 20 mil garrafas rum bloqueadas pela China.

Eric Huang revelou ainda que Taiwan comprou 120 contentores de carga afetados pelo bloqueio chinês.

Embora o Governo lituano não se tenha curvado à pressão chinesa, o Presidente do país, Gitanas Nauseda, referiu esta semana que permitir a representação diplomática de Taiwan foi "um erro".

A Lituânia tem planeado abrir a sua própria representação em Taiwan em 2022.A representante comercial dos EUA, Katherine Tai,manteve esta quarta-feira um contacto telefónico com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Lituânia, Gabrielius Landsbergis, onde "expressou o forte e contínuo apoio dos Estados Unidos à Lituânia perante a coerção económica por parte da República Popular da China", revelou Washington.

Taiwan, para onde o exército nacionalista chinês fugiu após a derrota contra as tropas comunistas na guerra civil, em 1949, tem um governo autónomo desde então, embora a China considere a ilha uma província e defenda a reunificação.

Actualmente, Taiwan é reconhecido apenas por 14 Estados e tem vindo a intensificar os intercâmbios com países que não reconhecem oficialmente a ilha como um país.

Nos últimos anos a China tem 'caçado' os aliados diplomáticos de Taiwan, reduzindo o número de países que reconhecem a ilha como nação soberana.