Seca na Bolívia afecta 102 mil famílias e 140.852 hectares de cultivo

As regiões afectadas pela seca são La Paz, Oruro, Potosí, Cochabamba, Tarija, Chuquisaca e Santa Cruz, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Rural e Terras boliviano

Luanda /
01 Dez 2022 / 09:36 H.

Mais de 102 mil famílias foram afectadas e 140 mil hectares de culturas foram danificados pela seca em sete das nove regiões da Bolívia, disse hoje o Governo boliviano.

"Há 2.020 comunidades e estamos a falar de 102.440 famílias afectadas e de uma área de 140.852 hectares" danificada pela seca, disse o ministro do Desenvolvimento Rural e Terras, Remmy Gonzales, numa conferência de imprensa para apresentar o plano plurianual de resposta imediata à seca.

O responsável indicou que 153 municípios têm "necessidades urgentes de água" e destes 84 têm problemas na produção agrícola devido à seca, estando previsto para os primeiros uma resposta imediata e para os segundos um apoio com sementes, fertilizantes e outros elementos.

As regiões afectadas pela seca são La Paz, Oruro, Potosí, Cochabamba, Tarija, Chuquisaca e Santa Cruz, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Rural e Terras boliviano.

Gonzales lembrou que o país é afectado pelo fenómeno climático 'La Niña', que "trouxe muitas adversidades e problemas", manifestando-se inicialmente com geadas em algumas zonas e agora com a seca, o que também está a contribuir para o avanço dos incêndios em pelo menos cinco departamentos.

"A estratégia do governo é clara e precisa: primeiro vamos salvaguardar a vida", sublinhou o responsável, acompanhado pelos ministros do Ambiente e da Água, Juan Santos, e pelo vice-ministro da Defesa Civil, Juan Carlos Calvimontes.

O plano apresentado pelas autoridades bolivianas tem um orçamento total de cerca de 17,5 milhões de dólares (16 milhões de euros), dos quais 3,9 milhões de dólares (3,7 milhões de euros) serão utilizados como uma "resposta imediata" para a primeira fase da estratégia, até final do ano, disse Santos.