“Tunga-Nzola” leva folclore a Brazzaville

O grande benefício é a internacionalização da cultura de Angola, sobretudo a de Cabinda, por via do género musical ‘Kintueni’, que retrata o modo vivido dos povos de Cabinda.

Luanda /
13 Set 2022 / 10:29 H.

O grupo folclórico "Tunga – Nzola", da província de Cabinda, está desde sábado, em Brazzaville, capital da República do Congo, a realizar uma série de exibições culturais, a convite da embaixada angolana naquele país, no âmbito do centenário de António Agostinho Neto.

Na tarde de sábado, o grupo "Tunga Nzola”, composto por 15 elementos, fez a primeira exibição ao público, no anfiteatro da embaixada angolana, numa cerimónia em que estiveram entre outros convidados, membros do corpo diplomático acreditado no Congo Brazzaville, da comunidade angolana e do governo congolês.

O chefe da delegação cultural angolana, Luís Alexandre Capita, disse que a deslocação ao Congo Brazzaville de uma representação cultural da província de Cabinda, onde se integra o grupo folclórico "Tunga-Nzola”, "tem como objecto dar a conhecer a cultura angolana e, particularmente, a de Cabinda por intermédio da música folclórica.

O grupo folclórico "Tunga-Nzola” foi fundado em 2002, no bairro comandante Gika, em Cabinda e conta, actualmente, com 32 integrantes e já fez várias exibições no País e no exterior com destaque para a África do Sul e Coreia do Sul.