Artistas angolanos marcam presença na Investec Cape Town Art Fair

This Is Not A White Cube regressa a feira de arte de cape Town, com o projecto “discourses of decoloniality” – 14 a 16 de fevereiro 2020.

Luanda /
12 Fev 2020 / 09:51 H.

Na 8ª edição da Investec Cape Town Art Fair, a This Is Not A White Cube é uma das 90 galerias internacionais seleccionadas para uma das maiores feiras de arte contemporânea que se realizam em África. A decorrer de 14 a 16 de Fevereiro de 2020 no Centro de Convenções Internacional de Cape Town, a This Is Not A White Cube convidou Alida Rodrigues (83, Angola/Reino Unido), Januário Jano (79, Angola), Nelo Teixeira (75, Angola) e René Tavares (83, São Tomé e Príncipe/Portugal), 4 artistas da disporá africana que vão apresentar-se na Secção Principal com o projecto “Discourses Of Decoloniality”.

Desenvolvido exclusivamente para a Investec Cape Town Art Fair, o projecto “Discourses Of Decoloniality” reflecte sobre o surgimento de uma visão crítica do colonialismo e a importância que a disporá africana – personificada por esses 4 artistas – os projectos curatoriais, pesquisas e estudos documentais assumem na produção de uma renovação do discurso histórico da arte nos tempos contemporâneos.

Discourses Of Decoloniality” conecta obras inéditas de 4 artistas contemporâneos de África e sua disporá, que tem constituído ao longo dos anos em pesquisa e desenvolvimento de projectos em torno da noção da memória e identidade, tradição e contemporaneidade.

Através deste projecto, a galeria tem como objectivo gerar um diálogo entre países (ex colónias) com afinidades coloniais e históricas que reflectiam sobre o conceito de descolonização e busca promover uma reflexão sobre como a arte contemporânea criada por artistas africanos tem se afirmando em escala global.

Esta afirmação foi verificada através da produção um discurso disruptivo no contexto de um debate pós-colonial que durante décadas permaneceu marcado transversalmente pelo ego Eurocentrismo. Uma teorização enraizada que decorre dos processos de ocupação e compartilhamento dos territórios africanos pelos povos colonizadores, que produziram uma leitura unilateral da sua influência na constituição cultural e artística dos países colonizados.