ÁLVARO MACIEIRA EXPÕE “SÍNTESES - UM ARTISTA, MÚLTIPLAS LINGUAGENS”

O Centro Cultural Camões tem exposto, desde esta quinta-feira, até ao próximo dia 23 de Abril, em Luanda a exposição “Sínteses - Um artista, múltiplas linguagens” de Álvaro Macieira.

Luanda /
24 Mar 2020 / 10:28 H.

Embora geralmente exponha obras de grande dimensão (2 a 5m), nesta exposição, Álvaro Macieira apresenta quadros de dimensões pequenas ao ter como paradigma central a sintetização das linguagens usadas ao longo da sua extensa e destacada carreira, de acordo com uma nota de imprensa do Centro Cultural Português. Álvaro Macieira é jornalista, escritor, artista plástico e consultor cultural.

Nasceu a 13 de Maio de 1958, na vila de Sanza-Pombo, na Província do Uíge. Como jornalista, foi editor de Cultura na Agência Angola Press (Angop), onde começou em 1983. Trabalhou também no Jornal de Angola e no “Correia do Semana”. Foi colaborador da Rádio Nacional de Angola, Televisão Pública de Angola e Tribuna Cultural da BBC de Londres, em Língua Portuguesa, a partir de Luanda. Tem Publicados três livros: “Castro Soromenho” “Cinco Depoimentos”, “Cantos de Amor” e “Séculos de Amor”. Há mais de 20 anos, dedicou-se à investigação dos vários aspectos da vida cultural angolana, percorrendo o País e tomando contacto com a realidade nacional, consolidando os conhecimentos que lhe vêm da sua vivência rural e do privilégio de ter viajado desde muito jovem pelas inúmeras regiões de Angola.

O paradigma da sua inspiração pictórica é a poesia, a filosofia dos provérbios, os contos, as histórias que ouviu na sua infância rural, o contacto com as artes e as tradições africanas, as viagens, os museus que tem visitado pelo mundo e os lugares e sítios de memória. Com o pintor alemão, Horst Poppe, e o angolano, Augusto Ferreira fundou, em 2002, o conhecido grupo Conexão Cultural.

Em 8 anos de intercâmbio e diálogo artístico, na Alemanha e em Luanda, Álvaro Macieira e o seu colega alemão fizeram várias exposições e pintura juntos e 108 obras de pequenas e grandes dimensões. Consta que três das suas obras estiveram expostas no Nord Art 2009, tida como a maior exposição colectiva de artes plásticas do ano, realizada em Randsburg, norte da Alemanha. Membro da União dos Escritores Angolanos “UEA” e da União Nacional dos Artistas Plásticos “UNAP”, Álvaro Macieira conquistou o prémio de pintura EnsArte em 2002.

No mesmo ano foi premiado como “Melhor Pintor do Ano” pela Revista Tropical e pela Televisão Pública de Angola. Suas obras já foram expostas em Lisboa, Paris, Washington, Moscovo, Berlim, Bona, Bremen, Cuxhaven, Hannover e Abuja, entre outras cidades. Suas obras já foram expostas em Lisboa, Paris, Washington, Moscovo, Berlim, Bona, Bremen, Cuxhaven, Hannover e Abuja, entre outras cidades.

Já fez mais de 30 exposições individuais e participou em mais de 40 colectivas. Ainda em 2002 realizou a exposição Mambo Metu, no Centro Cultural Português, em Luanda. Realizou também os projectos e exposições África Mitológica, Terra Una e Signos da Terra (Salão Internacional de Exposições do Museu de História Natural), Catanas da Paz e Terra Azul (átrio da sede do Banco de Poupança e Crédito), Luanda Kianda – Cores da Terra (edifício-sede da Sonangol) e Angola Muxima Wami (Instituto Camões).