Zona de processamento agro-industrial recebe 47 milhões USD em Moçambique

O valor de 47,09 milhões USD, cerca de 41,5 milhões de euros, atribuído pelo Fundo, o braço concessional do BAD, servirá para implementar a zona especial.

Luanda /
05 Jan 2022 / 16:34 H.

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) anunciou hoje uma subvenção de 47 milhões de USD para a primeira fase do Corredor Integrado de Desenvolvimento entre Pemba e Lichinga, em Moçambique, para uma zona especial de processamento agro-industrial.

“A subvenção do Fundo Africano de Desenvolvimento vai ajudar a melhorar a produtividade agrícola e o desenvolvimento do agronegócio na província de Niassa, ao fazer avançar a capacidade institucional e o empreendedorismo para fomentar o crescimento das cadeias de valor agrícolas”, lê-se no comunicado enviado à Lusa.

O valor de 47,09 milhões USD, cerca de 41,5 milhões de euros, atribuído pelo Fundo, o braço concessional do BAD, servirá para implementar a zona especial, apresentada como “uma iniciativa integrada de desenvolvimento concebida para concentrar as actividades de processamento em áreas de grande potencial agrícola para aumentar a produtividade, integrar a produção, processamento e marketing de determinadas matérias-primas”.

Citado no comunicado, o ministro da Indústria e Comércio moçambicano, Carlos Mesquita, afirmou que o projecto vai “mudar o jogo” e irá transformar a economia, promover a inclusão social e fomentar a paz, ao lidar com factores importantes na indústria, como a infra-estrutura para o desenvolvimento.

O representante nacional do BAD em Moçambique, Cesar Augusto Mba Abogo, salientou a importância das zonas especiais para potenciar a produção agrícola e afirmou que “promovem a participação dos pequenos produtores nas cadeias de valor, oferecendo assim um modelo de desenvolvimento inclusivo”.